GUP! Desenvolvimento

5 erros que você não pode cometer no momento do desligamento

Por qualquer que seja o motivo, se você é um gestor, inevitavelmente durante a sua carreira você precisará realizar o desligamento de algum de seus liderados, seja por reestruturação da empresa, diminuição de quadro da área, baixa performance, ou algum outro motivo que tenha levado até este momento.

Este costuma ser um dos momentos mais chatos para um gestor… porém mais delicada ainda é a situação do funcionário que está deixando a empresa, por isso é imprescindível que o gestor tome alguns cuidados para conduzir esta situação da melhor forma possível.

Dica número 1: Sem enrolação

Seja direto e assertivo, você não pode ficar conversando com a pessoa por 5, 10 ou 30 minutos dando voltas e voltas e sem anunciar de fato a demissão. Comece a conversa comunicando que a decisão foi tomada e qual o motivo, sem enrolar.

 

Dica número 2: Você não é juiz, não queira julgar ou dar a sua opinião

Se você vai desligar o profissional significa que o momento para feedback já passou, não é hora de apontar a quantidade de erros que a pessoa cometeu, o que poderia fazer de melhor, as oportunidades que deixou passar, o momento não é mais esse.

Se você ainda quer dar feedback, pois sente que não apontou as situações que o colaborador pode melhorar no futuro, significa que você não fez seu papel de gestor no momento correto! Não adianta agora “querer tirar o atraso”.

Também não adianta querer ficar enaltecendo a pessoa com elogios e “afagos”. Dizer coisas como “você é incrível”, “quem te contratar vai ter muita sorte” ou “você é um profissional completo”, com um posicionamento desses vai começar a parecer que a pessoa foi demitida mesmo sendo o funcionário perfeito, a conversa perde o sentido e será gerado um ar de injustiça.

 

Dica número 3: não seja um “coração gelado/peludo”

Por mais que a orientação é “ir direto ao ponto” e “não ficar discutindo performance”, não significa que você tem que ser seco, grosso ou maltratar o funcionário, conforme apontado no inicio desse texto o momento do desligamento é muito mais impactante para o funcionário do que para o gestor. Deixe que a pessoa leve o tempo necessário para assimilar a notícia, não faça nada com pressa, realize o desligamento em local isolado para não expor a pessoa.

Sem piadinhas ou gracinhas, por mais que vocês eram muito próximos, colegas… nesse momento a vida da pessoa está passando por uma grande mudança, isso é assunto sério!

Basta uma pitada de Empatia (+ Bom senso + Respeito) para ter claro o que pode e o que não pode ser feito.

 

Dica número 4: “Seu irmão não faz essas coisas”

Quem não é filho único já ouviu a mãe falando isso em algum momento da vida e sabe muito bem que essa frase é muito irritante. O mesmo vale para o mundo corporativo. Evite ao máximo comparações, frases como “o Fulano tem o mesmo tempo de empresa que você, percebe que ele já fez…”, “Beltrano está no departamento a menos tempo que você e já…”

 

Dica número 5: Mantenha o equilíbrio

Por mais que o funcionário que está sendo desligado tenha te dado muita dor de cabeça, tenha sempre em mente que a relação já está muito perto do fim, não adianta de nada gritar, brigar, esbravejar, querer passar lição de moral, falar com tom de ironia ou querer demonstrar superioridade. O melhor é encerrar a relação da forma mais profissional o possível para evitar ainda mais dor de cabeça.

Também pode acontecer de você ter que fazer o desligamento de alguém que gosta muito, por mais que somos todos humanos ressalto mais uma vez que o momento é mais delicado para o funcionário do que para o gestor, não faça o desligamento em prantos, ou ofendendo a empresa pela decisão tomada (se você tiver sido obrigado a fazer essa demissão contra sua vontade).

O foco é o equilíbrio, não somos máquinas, ninguém é 100% razão e 0% emoção, a ideia aqui é apenas que não seja a emoção que vai pesar mais nesse momento.

 

Gestores de pessoas precisam estar sempre preparados para qualquer situação que envolve seu grupo de liderados.

Outra dica importante, não exclusiva desse tema, é conversar com outros gestores e trocar experiencias (sem expor ninguém) e aprendizados.

Acompanhe o blog para mais dicas e ferramentas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Paulo Araneda

Consultor de Gestão de Pessoas