GUP! Desenvolvimento

03 valiosas lições que devemos tirar das festas de final de ano (parte 2 de 3)

No texto anterior falamos sobre a riqueza que podemos gerar ao realizar Reuniões de Retrospectiva, uma ação simples e que incentiva todo o time a pensar e aprender com aquilo que realizou.

Na segunda parte desse texto, falaremos sobre outro ponto simples e que pode aumentar muito o engajamento das equipes.

O segundo ponto muito presente no final de ano são as Celebrações!

 

Muitas vezes nos deparamos com ótimas equipes e gestores que entregam mês após mês suas metas e superam os resultados previstos pelas empresas, porém algo ainda não tão fácil de encontrar são as equipes que celebram suas conquistas.

Talvez a sua empresa entende que as equipes “não estão fazendo mais do que a obrigação”.

Talvez o entendimento é de que “o que importa é o número final, não adianta de nada comemorar agora se o resultado não se sustentar”.

Pois saiba que o fato de comemorar, além de gerar um momento de descompressão (que pode ser entendido como o momento que a equipe “recupera o fôlego” para a próxima corrida) é um reforço para que a equipe entenda que está no caminho certo. A comemoração pode também fortalecer o vínculo da equipe, que a cada resultado atingido vai aprendendo a trabalhar melhor de forma coletiva, com seus membros sabendo os pontos fortes e estilo de trabalho de cada um.


Atenção:
não me entenda mal, quando escrevo “celebração” ou “comemoração”, não estou falando de Festa com banda, em salão, com artista de circo… estou falando de reconhecimento apenas, talvez esse reconhecimento venha ao parar a equipe por alguns minutos e pedir uma salva de palma pelo resultado parcial atingido, ou na forma de um agradecimento pelos esforços, ou talvez até incentivando que os membros da equipe possam agradecer uns aos outros.

E você, já celebra as conquistas com seu time e reforça os avanços? Compartilhe conosco como tem sido esse momento de comemoração e reconhecimento para a equipe 🙂
Acompanhe nossas redes sociais e receba na semana que vem a terceira parte desse artigo.

Paulo Araneda
Consultor de Gestão de Pessoas