GUP! Desenvolvimento

FELICIDADE NO TRABALHO: O ROMANCE QUE DÁ RESULTADO

Nascemos em 2017 com a nossa primeira missão de proporcionar mais felicidade no ambiente de trabalho e em algumas situações ouvimos que esse sonho é romântico demais para as empresas. Diretores, Acionistas e demais dirigentes estão preocupados em fazer as equipes produzirem mais, venderem mais, lucrarem mais, conseguirem honrar as suas dívidas e algo tão abstrato e utópico não deveria estar na pauta. Isso é tema para as “meninas do RH” que querem abraçar árvores.

 

Quantos preconceitos e equívocos em um parágrafo só, não é mesmo? Entendemos esse ponto de vista porque esses gestores desenvolveram as suas carreiras em um mundo em que não se valorizava o trabalho como um propósito. Pessoas ingressavam nas empresas jovens e sonhavam em se aposentar nelas, pois o trabalho era exclusivamente uma fonte de renda e não algo que deveria gerar prazer e satisfação. “Estou aqui para fazer o meu trabalho. Serei feliz aos finais de semana”. Será?

 

Acontece que o mundo mudou, continua mudando e vai mudar ainda mais! Reflexões de que passamos a maior parte do nosso tempo no trabalho e para sermos plenos na vida, esse tempo no trabalho precisa ser bem experienciado estão em pauta. Temas como propósito, ou seja, fazer algo que se conecte aos seus próprios valores e ajude o mundo a ser um lugar melhor também está nas principais rodas de conversas dos profissionais. Os colaboradores já não sonham mais em se aposentar nas empresas e por consequencia são menos tolerantes aos problemas de gestão. Eles querem trabalhar em atividades em que podem agregar com os seus conhecimentos e que também estejam conectados aos seus anseios de carreira. Enquanto alguns criticam, achamos isso maravilhoso e entendemos que deve existir um equilíbrio das demandas das organizações e dos profissionais para que dê tudo certo.

 

Na busca de proporcionar mais felicidade e equilíbrio nas relações de trabalho porque todo mundo ganha, entendemos que as ações de gestão de performance não devem estar focadas apenas nos anseios da empresa porque quando isso acontece, os resultados são insustentáveis: os melhores colaboradores vão embora; ao invés de falarem bem da empresa e apoiarem o seu crescimento, as próprias equipes tornam-se detratoras da marca; os profissionais não acessam o seu máximo de senso crítico e criatividade pois não estão emocionalmente envolvidos, enfim, são diversas perdas para todos os lados.

 

Um ponto muito positivo é que de 2017 pra cá atendemos na GUP! mais de 30 clientes que diferente do citado acima, acreditam que a felicidade pode trazer muitos resultados positivos para as suas empresas, além de já perceberem diferenças nas suas equipes.

 

Sendo assim, na GUP! investimos em iniciativas que apóiam a empresa a desenvolver um ambiente com profissionais que sabem aonde o grupo quer chegar e se identificam com isso; que também tenha clareza do que cada cargo precisa, tanto em termo de competências técnicas e comportamentais, como em resultados efetivos, garantindo o alinhamento das pessoas certas nos lugares certos, sendo mais felizes e produtivas; além de ferramentas que medem se essas necessidades estão sendo atendidas para que ações de correção possam ser realizadas, além do reconhecimento para quem está cumprindo, é claro!

 

Felicidade pode até soar romântico mas que dá muito resultado, ah isso dá!

 

Carol Freitas – GUP! Desenvolvimento l gestão de performance sustentável