GUP! Desenvolvimento

PESSOA CERTA NO LUGAR CERTO: UM CASE COM MUITOS APRENDIZADOS

Não ter a pessoa certa no lugar certo pode trazer erros difíceis de contornar.

 

Nesse artigo contamos a história de uma profissional que enfrentou um grande desafio na sua carreira que não terminou bem naquele momento mas que trouxe grandes aprendizados para a sua vida profissional e pessoal. Ela autorizou esse compartilhamento e os nomes são fictícios para preservar as identidades dos envolvidos:

 

Bruna era Gerente de RH de uma empresa de serviços com aproximadamente 300 colaboradores e tinha no seu time mais 05 Analistas. Era a primeira vez que assumira a função de gerência e a sua área possuía muitas demandas vindas da diretoria. O ambiente era hostil e de muita pressão.

 

Uma das demandas que Bruna teve que assumir era a implantação de um novo sistema de folha de pagamento mas ela não tinha domínio técnico dessa área. Unindo com as reclamações da diretoria sobre o desempenho da atual Analista de Folha de Pagamento, Bruna decidiu por fazer a sua substituição por alguém que também tivesse experiência com implantações de sistemas. O que a Bruna ainda não sabia era a “dor de cabeça” que essa nova contratação causaria.

 

A nova colaboradora, Larissa, havia sido indicada e demonstrado na entrevista possuir bastante experiência com rotinas de folha de pagamento e implantação de sistemas, porém isso não se evidenciou na prática. Ela não conseguia realizar as próprias rotinas do trabalho e reclamava constantemente dos colaboradores, dos outros gestores, da empresa, da ineficiência do novo sistema e o restante do departamento era afetado tanto emocionalmente com as suas atitudes, como no trabalho, pois precisavam ajuda-la e acalma-la constantemente.

 

Diante do ocorrido, Bruna tentou negociar com a Diretoria mais prazos para a implantação desse sistema para que pudesse substituir a Larissa mas recebeu uma negativa e mais 02 projetos grandes e urgentes para conduzir com o time. Parecia que o melhor seria contornar a situação com a Larissa para que essa implantação fosse concluída dentro do prazo de mais 45 dias.

 

Como você já deve imaginar, essa tentativa não deu certo. A nova Analista estava trabalhando de 10 a 12 horas por dia mas a sua postura de reclamar demais e não lidar com as outras pessoas faziam com que ela não conseguisse entregar os seus trabalhos. Bruna também estava trabalhando muitas horas a mais por dia para contornar a situação de erros na folha de pagamento e dos seus oito outros grandes projetos que precisavam finalizar naquele quadrimestre.

 

Bruna e Larissa, ambas sob pressão, começaram a conflitar entre si e os demais Analistas se dividiam entre as duas, questionando ambas posturas. O clima era ruim e toda a equipe estava ficando desgastada.

 

Qual a finalização dessa história? A Bruna sentiu-se explorada e não apoiada pela diretoria, pedindo demissão. A Larissa foi embora em menos de 01 semana depois da Bruna. A empresa dobrou o custo de pessoal da área de RH na expectativa de recuperar os estragos. Tanto o sistema da folha de pagamento quanto a maioria dos demais projetos tiveram que ser reprogramados para o semestre seguinte.

 

Principais aprendizados:

– Ter a “pessoa certa no lugar certo” envolve diferentes fatores, como: experiência prévia na função, maturidades técnica e emocional adequadas ao cargo, aderência do perfil comportamental e alinhamento dos valores pessoais com os valores da empresa;

– Tanto Bruna como a Larissa demonstravam comprometimento mas não estavam preparadas para esses desafios;

– A falta de habilidade da diretoria de apoiar a gerência nesses desafios causou impactos financeiros, no clima da equipe e no atraso dos projetos;

– A definição de metas agressivas e com baixa possibilidade de realiza-las causa grande estresse nos envolvidos e ao perceber que é impossível, gera desistência ao invés de engajamento.

 

Na GUP! temos a missão de proporcionar mais felicidade e resultados no trabalho, pois quando a gestão de performance é sustentável, ou seja, existe o cuidado tanto com a empresa como com os colaboradores, há preocupação com o curto e com o longo prazo e os colaboradores estão alinhados para um mesmo objetivo, todo mundo ganha!

 

Carol Freitas – GUP! Desenvolvimento l gestão de performance sustentável