GUP! Desenvolvimento

DESENVOLVIMENTO DA LIDERANÇA PARA QUEM DESEJA SER LÍDER

Por que é tão difícil para a maioria dos profissionais técnicos conseguir delegar as suas tarefas e desempenhar a função de liderança com maestria?

 

A liderança é uma das responsabilidades mais desafiadoras no mundo corporativo, motivo pelo qual justifica inúmeros estudos realizados nessa área, com grande destaque aos autores Peter Drucker, Marshall Goldsmith, Ram Charam, Edgar Schein e Daniel Goleman que abordam desde as competências técnicas mas principalmente as competências emocionais e sociais essenciais para o sucesso dessa função.

 

Há quem acredite que a liderança é algo inato, ou seja, que a pessoa já nasce com essas competências prontas. Essa afirmação é muito perigosa por dois principais motivos:

1) ninguém nasce com as competências de liderança desenvolvidas. Há pessoas com um maior potencial mas que precisarão desenvolvê-las e colocá-las em prática para ter uma excelente performance na função.

2) a liderança pode ser desenvolvida por qualquer pessoa, tenha ela uma maior predisposição ou não, portanto que exista o interesse e o treinamento adequado.

 

Uma das dificuldades dos profissionais altamente especializados nas atuais atividades é a falta de vontade genuína de tornar-se um líder e delegar as suas atividades operacionais. Percebemos na nossa consultoria que muitas pessoas desejam se tornar líderes como oportunidade de crescimento na carreira, mas esse crescimento está muito mais relacionado a status e aumento da remuneração do que nas novas atribuições que essa função exige.

 

Unindo essa situação com empresas que não possuem uma gestão estruturada e que a própria alta direção não realiza as atividades compatíveis ao seu nível de função, o que acontece é uma grande frustração de todos os envolvidos:

– a equipe se queixa que o gestor não desenvolve as habilidades do time e não oferece o suporte necessário.

– o gestor reclama que não consegue liderar a equipe porque está sobrecarregado de atividades operacionais e é cobrado pelos resultados do time que ele mal consegue acompanhar.

– o gerente desse gestor reclama que ele não consegue delegar as atividades para o time e não tem perfil para liderança. Esse gerente, por sua vez, acaba realizando atividades de um nível abaixo da sua função para garantir os resultados operacionais.

 

Como você pode imaginar, há um grande estresse em todos os envolvidos, além do desperdício de tempo, de dinheiro e ninguém fica de fato satisfeito e engajado com os desafios diários, por mais que exista o esforço.

 

A notícia boa é que esse cenário ruim pode ser desenvolvido e destacamos nesse artigo algumas práticas que podem ser adotadas:

• Elaboração de um organograma com todos os níveis de liderança dentro da empresa, especificando quais são as diferenças no gerenciamento de tempo, habilidades necessárias e valores profissionais de cada nível.

• Conhecimento dos potenciais comportamentais dos ocupantes dos cargos de liderança e de possíveis sucessores, e além disso, sobre as preferências de carreira desses profissionais pois há muitas pessoas que querem seguir carreira como especialistas e o mercado está cada vez mais aberto a esse tipo de estrutura organizacional.

• Proporcionar Programas de Desenvolvimento da Liderança para garantir que todos os ocupantes tenham os conhecimentos, as habilidades e as atitudes adequadas para uma excelente performance nessa função.

 

Na GUP! Desenvolvimento elaboramos programas customizados com a necessidade de cada cliente para o desenvolvimento da liderança, que variam desde treinamentos em grupo, até sessões individuais de mentoria ou coaching com os participantes. Entre em contato conosco e conheça melhor as nossas soluções que impulsionam as empresas por meio de uma liderança efetiva.

 

Carol Freitas – GUP! Desenvolvimento l gestão de performance sustentável