GUP! Desenvolvimento

DEMITA RÁPIDO E CONTRATE DEVAGAR

Será que essa frase é uma verdade absoluta? Na nossa opinião: depende e queremos explicar o porquê.

 

Uma das etapas mais importantes na jornada de um colaborador, tanto para a empresa como para ele próprio é a sua contratação, afinal uma admissão bem feita com um candidato alinhado com os requisitos técnicos da vaga, comportamentos adequados a sua função, valores compatíveis a cultura da empresa e um processo de integração bem feito, já diminui drasticamente as chances dessa pessoa ir embora meses depois.

 

Mas é muito difícil conseguir realizar todas essas análises em uma semana, por exemplo, certo? Então nesse cenário faz muito sentido ter um processo seletivo estruturado que ainda que demore mais tempo, evitará problemas futuros.

 

O mercado pratica a média de 30 dias para contratação para vagas administrativas, 60 dias para vagas técnicas e 90 dias para vagas de executivos mas esses números podem variar.

 

Em empresas com a área de Recrutamento & Seleção bem estruturada, com sistemas e aplicação de testes online, esse tempo pode ser diminuído quando já existem candidatos cadastrados na plataforma que são aderentes a vaga e disponíveis no mercado naquele momento.

 

Agora vamos falar da parte mais delicada: demita rápido! Essa afirmação depende bastante da empresa e da função que a pessoa ocupa.

 

Imagine a Gabriela, Diretora Financeira de uma multinacional presente em 15 países, com faturamento local de R$ 500 mi por ano e com um time direto de 20 colaboradores. Após 06 meses de um criterioso processo de seleção, o CEO ouve queixas de outros departamentos de que Gabriela não está atendendo as expectativas e ao entender as razões, encontramos 02 cenários:


a) reclamações de que ela não ajustou todos os processos necessários, gerando lentidão nas demandas internas

b) queixas de que ela compartilha com outras pessoas da empresa informações confidenciais discutidas apenas na Diretoria e que apesar de aparentar ter um bom relacionamento com as pessoas, é grosseira com a sua equipe

 

São gravidades diferentes e que pedem tratativas diferentes. Pode ser que na primeira situação, os clientes internos que estão muito ansiosos e ter uma conversa de alinhamento com a Gabriela já resolverá.

 

No segundo caso, são comportamentos mais difíceis de mudar e se após um feedback do CEO, Gabriela mantiver esse comportamento, a substituição pode ser a melhor escolha.

 

O importante é não manter na empresa colaboradores que não performam, demonstram não gostar da organização, com comportamentos inadequados por pena pois os seus impactos na equipe são muito grandes, englobando desmotivar colegas, atender mal os clientes e cometer erros graves.

 

E na sua opinião, está certo demitir rápido e contratar devagar?

 

GUP! Desenvolvimento | gestão de performance sustentável